Publicado: Terça, 03 Fevereiro 2015 10:17
  Autor: Stéfano Salles
  Fonte: O Globo

Soluções ultrapassam as barreiras das salas de aula e estimulam a busca pela inovação.

 
 
RIO - Responsável por uma série de soluções que ajudam a forjar o perfil do profissional do século XXI, o emprego da tecnologia auxilia também a definir o perfil de cada instituição de ensino da cidade. Essencial para o êxito da Educação à Distância (EAD), que permite levar qualificação profissional até mesmo aos recônditos mais afastados e possibilita horários de estudo mais flexíveis para quem tem uma rotina intensa de trabalho, ela abre caminho também para o investimento na inovação, que ajuda a impulsionar uma gama de segmentos econômicos.


 

Desde novembro do ano passado, o Centro de Tecnologia Senai Automação & Simulação mantém na unidade de Benfica um laboratório de ponta, o FabLab, que busca estimular a criatividade e o espírito inovador dos alunos de todos os cursos da instituição. A metodologia, surgida no MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachussets, envolve uma rede mundial de laboratórios do gênero, que trabalham de modo colaborativo, como destaca o gerente Sérgio Vilareal, responsável pela unidade de Benfica, a segunda maior do mundo, atrás apenas de um laboratório japonês.

— Contamos com máquinas de corte a laser, para plástico e tecidos, impressoras 3D e kits para montagem de circuitos eletrônicos, por exemplo. Nosso objetivo é estimular a criação dos protótipos mais diversos, já que abrigamos cursos variados — explica.

Os alunos com melhor aproveitamento em seus cursos técnicos podem fazer também, gratuitamente, o curso Assistente de Projetos FabLab, com 40 horas de duração. Esses estudantes participam de projetos nos quais o Senai é chamado para ajudar a buscar soluções para problemas enfrentados pela indústria, como o emprego da tecnologia IOS, da Apple, na indústria automotiva.

— Como estamos próximos da indústria e sempre temos contato com ela, ajudamos a propor essas soluções. Desenvolvemos um carro de madeira, que é elétrico e anda de verdade, e testamos algumas soluções desta tecnologia nele. Conseguimos fazê-lo dar partida pelo celular e localizá-lo pelo GPS do aparelho depois de deixá-lo estacionado em algum ponto — explica.

O próximo objetivo da instituição é propor soluções para problemas enfrentados pela indústria da construção civil, impulsionada pelos Jogos Olímpicos de 2016.

INCENTIVO PERMANENTE À INOVAÇÃO

Na Estácio, os estudantes são estimulados a empregar a tecnologia no uso de novas ferramentas que simplifiquem as tarefas corriqueiras do cotidiano. Para isso, a instituição mantém o Núcleo de Aceleração e Valorização da Estácio (Nave). O órgão, inaugurado no ano passado, fica na Zona Portuária e é dedicado aos alunos empreendedores. As melhores ideias, selecionadas em uma triagem, recebem a atenção dos professores da casa para desenvolver atributos como conceito e metodologia, oportunidades, parcerias estratégicas e investimentos.

Alunos do campus Nova América, Hélder Alves e Ricardo Alves são sócios na startup Radar 77. Eles criaram uma solução que promete acabar com a caça do melhor preço e dos cupons de desconto. A dupla desenvolveu uma extensão para o navegador Google Chrome. Depois de instalada, basta procurar o produto desejado que ela, automaticamente, encontrará os melhores preços e os cupons promocionais, para que os clientes sempre paguem menos. A novidade já está disponível no site da companhia . Para a diretora de Inovação da universidade, Lindália Reis, o faro empreendedor é o elemento mais importante em uma seleção desse tipo.

— O espírito empreendedor do Hélder é incrível, e isso é fundamental. É mais importante até do que a qualidade do projeto apresentado, embora o dele seja incrivelmente bom, mas muitos projetos mudam no meio desse processo de pré-aceleração. Por isso que o espírito empreendedor é importante: quem o tem consegue persistir com afinco no negócio — destaca a professora.

Aluno do 8º período do curso de Sistemas de Informação, Hélder, de 23 anos, destaca que o sucesso da ferramenta é a busca em tempo real.

—Há vários sites que fazem pesquisa de preços, mas há sempre valores desatualizados, ou sem levar em conta o estoque de que cada loja dispõe. Aprendi muito sobre negócios no programa de pré-aceleração — resume ele, que está prestes a assinar um contrato com um investidor-anjo.

FERRAMENTA PARA OUVIR O PÚBLICO

Preocupada em atender às diferentes necessidades de alunos e ex-estudantes da instituição, a UniSuam criou uma ferramenta para que os interessados sugiram cursos livres para o centro universitário: o site Pra quem faz . Dessa maneira, já surgiram diversas atividades, concentradas no campus Bonsuc esso, o maior da rede, como destaca André Nakamura, coordenador de cursos livres da rede, que tem ainda um campus em Bangu, outro em Jacarepaguá e dois campus em Campo Grande. No total, são 23 mil alunos, distribuídos entre as 33 graduações.

— Nós temos uma comunidade acadêmica muito grande e ativa, e precisamos conhecer essas demandas. Estamos sempre em contato com os alunos e com o mercado. São cursos que servem como atualização profissional, revisão, para quem não teve bom aproveitamento em algumas disciplinas; e introdução, para estudantes que pretendem ingressar na faculdade, mas antes querem conhecer suas áreas de atuação — destaca o professor.


 

 

© 2019 Funadesp. Todos direitos reservados.

Desenvolvido por AtomTech